ECT: Excelência em iniciação à docência

Seminário de Iniciação à Docência (SID) é a um evento da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), organizado pela Pró Reitoria de Graduação (PROGRAD), que visa divulgar os projetos desenvolvidos no âmbito do programa de monitoria e, consequentemente, socializar as experiências vivenciadas por professores e alunos. A edição deste ano acontece de 21 a 23 de agosto.

Na edição de 2016, a Escola da Ciências e Tecnologia (ECT) teve três trabalhos premiados dentre os 24 melhores da UFRN. O professor de Química Geral da ECT, Filipe Martel de Magalhães Borges, foi coordenador de um dos projetos premiados. O docente relatou que o processo para inscrição de trabalhos segue as normas para submissão de resumos, onde se estabelecem quantidade de monitores, trabalhos e outras especificações.

Para ele, a experiência como orientador é muito interessante:
“Quando trabalhamos com os monitores, o conteúdo à ser apresentado, durante apenas 10 minutos, foi desenvolvido por cerca de um ano. No caso do trabalho que coordenei, em especial, foram dois anos. Colhemos bastante resultados nesse tempo”.

Foto 1Ações Essenciais da Monitoria de Química Geral – Da esquerda para direita: Leulomar Enedino do Nascimento, Dayane Laura De Oliveira Dantas, Professor Filipe Martel de Magalhães Borges, Eduardo Henrique da Silva Freitas e Silvestre Luiz Castro de Morais 

O professor Filipe Borges ressalta a importância de projetos como o SID, do ponto de vista do docente, ao acompanhar de perto o trabalho dos monitores. Na área da química, ocorrem, regularmente, discussões entre a equipe, coordenador, orientadores e monitores crescendo a partir de cada reunião em prol de melhorar o objetivo principal (Que são objetivos do Programa de Monitoria da PROGRAD/UFRN): A formação do monitor visando a futura carreira docente, o melhor aproveitamento do aprendizado do discente – no caso de Química Geral, uma melhor formação e aprovação dentro do curso. Para ele, esses são os três pilares a serem trabalhados dentro dos Projetos de Monitoria.

O professor pode ser considerado um veterano de participação no SID. Colabora com o evento, efetivamente, desde 2011. Nos anos anteriores as apresentação eram feitas em banner, mas a partir de 2015 passaram a ser orais. Ele defende que a apresentação realizada oralmente, demanda uma situação especial para o monitor, pela interação que vai ter com o público e a banca de avaliação de trabalhos: “A apresentação oral é muito valorosa já pensando na carreira docente, fazer perguntas, arguição(…) Apesar do pessoal ser bem “jovem”, na minha equipe, por exemplo, apresentaram resultados muito satisfatórios”.

 

Foto 2Inovações na monitoria do componente curricular Química Geral – Da esquerda para direita: Mariaelena Nascimento Silveira, Samuel Amico Fidelis, Professora Lilian Cavalcante da Silva, Rafael Simonetti Bullio e Daniel Rodrigo de Lima Gomes

A expectativa do professor Filipe Borges para o SID, que foi antecipado, é grande. Já está havendo preparação e novidades para trazer inovação. Haja vista, que a equipe de química busca vencer as dificuldades, procurando melhorias através de metodologias de apoio virtual mais intenso, com a divulgação das redes sociais e questionários – que estão sendo elaborados, em prol de aumentar a demanda presencial.

A ECT teve trabalhos premiados em quase todos os anos que participou do evento de 2011 a 2016, com exceção do ano de 2014.

O programa de monitoria

O incentivo à produção de conteúdo, na monitoria de Química Geral este ano, conta com as seguintes ações: O professor Filipe Borges juntamente com a professora Lilian Cavalcante da Silva orienta e acompanha os monitores que trabalham com o Plantão de Estudo em Química, agregando as seis turmas no total, do componente curricular no auditório; os monitores atuam no desenvolvimento de questões selecionadas, acompanhados por um docente.

Outra situação que compõe o projeto, é o apoio presencial, onde há atendimento na sala de monitoria, assim como, atuação em laboratório auxiliando os professores- atualmente composta por 6 docentes: Filipe Borges, Tatiana Bicudo, Salete Alves, Elisama Santos , Patrícia Soares e Lilian Silva. No campo virtual, há a produção de vídeo-aulas para os estudantes, também de Regime de Exercício Domiciliar (aos que não podem comparecer presencialmente as aulas), permitindo o acompanhamento do trabalho pela página do facebook ou site da monitoria. Todas essas atividades são coordenadas pelo docente de perto, e todas as ações são geridas através da Resolução da Monitoria da PROGRAD/2012, associada ao projeto criado pela equipe, seguido pelo surgimento dos planos de trabalho dos monitores.

Quando começamos a trabalhar com os monitores em várias áreas aqui da ECT, conseguimos mostrar que o trabalho é gratificante e bem visto. Fazemos o trabalho apesar das grandes dificuldades, porque turmas grandes exigem mais. Cada professor possui um mecanismo de trabalho, que é muito bem visto – quase todos os anos a ECT foi premiada. Então, temos uma vasta gama de sucesso. Isso é orgulho para os professores. Se um monitor começa a se interessar em seguir a carreira docente, nós como professores, começamos a ficar mais empolgados”.

Deixe uma resposta