Monitoria de CTS busca mostrar mais representatividade no universo científico

A disciplina de Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS), que faz parte da grade curricular do Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT), tem dois obstáculos: além do sistema de turmas grandes, que às vezes dificulta no aprendizado dos alunos; tem o fato de ter grande influência da área de humanas num curso de exatas. Nesse contexto, a equipe de monitoria coordenada pelo professor Thiago Lucena, usou o Seminário de Iniciação à Docência (SID) de 2017 para dividir essas experiências e falar sobre as estratégias que usam durante o semestre para minimizar esses problemas.

Durante a apresentação, o grupo de monitores, formado por Denner Santiago, Guiliana Cunha, Ianca Miranda e João Emanuel Macedo; contou que toda segunda-feira se reúnem com o professor para fazer o planejamento da semana. Na tentativa de diminuir a distância entre professor e aluno, pelo menos um dos monitores estão sempre nas aulas auxiliando o docente para que nenhum discente fique desassistido.

Paralelo ao trabalho de acompanhar as aulas, atender os alunos em caso de dúvidas e corrigir atividades, os quatro são responsáveis por coordenar o grupo de estudo “Ciência e ética do reconhecimento: CTS”. Nele, os alunos que se dividem em equipes de aproximadamente 15 pessoas, tem o desafio de pesquisar, estudar e apresentar um cientista que é pouco conhecido, saindo assim dos nomes mais renomados e mostrando outros que por ser mulher, negro ou parte da comunidade LGBT foram esquecidos ao longo dos anos; além de expor que cientistas também são pessoas comuns, não muito distante da realidade em que estamos inseridos.

“Queremos mostrar que existe diversidade”, disse João Emanuel, “C&T (Ciência e Tecnologia) é um curso plural, queremos que os alunos se sintam representados e que consigam se enxergar como cientistas mesmo fazendo parte de uma minoria”.

IMG_20170823_173023279~2

Ianca Miranda (à esquerda), Denner Santiago, Giuliana Cunha, João Emanuel e Lidiane Rodrigues (nova monitora)

Os monitores também contam que outro benefício dessa dinâmica é a aproximação dos alunos, já que CTS é uma disciplina do primeiro semestre, portanto é o primeiro contato que eles tem uns com os outros, o que ajuda no desenvolvimento dos discentes ao logo do curso.

O Seminário de Iniciação à Docência, que conta com apresentação dos projetos de monitoria de toda a Universidade, aconteceu entre os dias 21 e 23 de agosto.

Deixe uma resposta