ECT tem trabalho premiado em evento Internacional

Dos dias 20 a 22 deste mês, na cidade de Aracaju, foi realizada a oitava edição do Simpósio Internacional de Inovação Tecnológica – SIMTEC ou ISTI, em inglês. Organizado pela Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual – API, o evento objetiva promover o diálogo entre acadêmicos; pesquisadores e profissionais dos setores público e privado, bem como tomadores de decisão e praticantes de propriedade intelectual, negociação, transferência de tecnologia e inovação. Em específico, a atividade visa contribuir com o compartilhamento de informações acerca de tendências, experiências e casos em inovações tecnológicas, além de encorajar o progresso e inovação no aprendizado e aplicação de ferramentas tecnológicas.

ISTI202017_Tarja_site1

 

Na edição de 2017 do ISTI, foram aceitos três trabalhos da Escola de Ciências e Tecnologias, vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Inovação (PPgCTI), para apresentação na área de inovação e desenvolvimento tecnológico. Um deles foi premiado, confira:

  • “Estratégia de conversão do potencial energético solar Natalense em gatilho de construção das cidades inteligentes”, por Allan Costa, Silvania Araújo, Pollianna Medeiros, Janayna Ibiapina, Zulmara de Carvalho.

Natal está situada na região brasileira com maior incidência solar do país, além de a cidade estar implementando o Projeto “Natal, Cidade Inteligente e Humana”. Foi a partir dessas informações que o artigo de Janayna pautou sua abordagem.  “Discutimos estratégia de conversão do potencial energético solar natalense em gatilho de construção das cidades inteligentes. Verificou-se, portanto, que é necessário usar sistemas inteligentes e responsivos capazes de monitorar, controlar e verificar a qualidade juntamente com a quantidade de energia entregue ao consumidor”.

WhatsApp Image 2017-09-27 at 11.02.20Janayna, à esquerda, e Silvânia, também autora do trabalho.

  • “Estratégias de Apropriação Social da Cultura da Inovação”, por Heitor Oliveira, Jefferson Lira, Rayane Câmera, Augusto Nobre, Zulmara de Carvalho.

Heitor contou que seu trabalho aborda estratégias de apropriação social dos processos de inovação por meio de dois viés: a popularização da inovação e os Laboratórios Vivos, ou Living Labs, do inglês. A discussão é centrada no contraponto entre as abordagens de cidades inteligentes, centrada no desenvolvimento tecnológico promovido pela tríplice hélice (governo, indústria e universidade), e cidades inteligentes e humanas, na qual a sociedade é inserida como ator direto dos processos de inovação. A pesquisa do grupo defende que as estratégias devem ser aplicadas simultaneamente: tornar a linguagem acadêmica e da inovação comum para a sociedade poder apropriar-se dos seus processos.

WhatsApp Image 2017-09-27 at 10.14.46Heitor durante apresentação

  • “Estratégias de desenvolvimento socioeconômico ecossistemas de inovação para implantação de smart cities – Estudos de casos nos Estados Unidos, China e Suécia”, por Heloysa Oliveira e Zulmara de Carvalho.

Heloysa Oliveira afirmou que em seu trabalho, foram selecionados três países, com perfis econômicos diferentes, para análise do ecossistema de inovação. Em específico, como foram os processos de  desenvolvimento da tríplice hélice nesses locais e seus reflexos nas economias desses países. Também foi feito um comparativo com o Brasil, e com base nisso foi analisado ranking da competitividade global desses países e como essas ações estão impactando nos pilares que compõem esse ranking.

ea492947-37c5-4cff-9a08-692ce2768932Heloysa e Manuel Tiiberio

O trabalho de Heloysa se destacou e foi premiado como melhor artigo na categoria de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico. O certificado foi entregue pelo Dr. Manuel Luís Tiiberio da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro – UTAD de Portugal.

Para mais informações sobre o evento clique aqui.

Deixe uma resposta