Grupo de pesquisa apresentará trabalhos em evento internacional sobre internet das coisas

Quatro trabalhos do projeto de pesquisa SAIoT, (Smart Automation using Internet of Things, que em tradução livre é Automação Inteligente usando Internet das Coisas) da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT), foram selecionados para serem apresentados no evento internacional Metrology for Industry 4.0 & IoT, na cidade de Brescia, na Itália; no período de 16 a 18 de abril.

O projeto que é coordenado pelos professores Diego Cabral, Marcelo Nogueira e Marconi Câmara, conta com 15 membros, entre fixos e voluntários. Com o apoio do projeto SmartCampus e da ECT, o objetivo é criar uma plataforma de comunicação entre dispositivos conectados para automação de prédios. A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) utilizará essa plataforma para monitorar o consumo de energia elétrica no âmbito do projeto SmartCampus e para monitoração e atuação de dispositivos de maneira mais geral, através de uma interface que pode ser acessada a partir de qualquer dispositivo conectado à internet.

O SAIoT tem três frentes de trabalho: a primeira tem como objetivo desenvolver uma interface gráfica, para que os usuários possam visualizar as variáveis monitoradas, atuar nos dispositivos, realizar cadastros de novos dispositivos e etc; a segunda trata da criação de uma biblioteca que visa facilitar e acelerar o desenvolvimento de novos dispositivos inteligentes compatíveis com a plataforma; a terceira e última frente diz respeito ao desenvolvimento do backend (software que roda em um servidor na Internet), responsável por armazenar todas as leituras dos sensores, enviar comandos aos atuadores através de ações dos usuários enviadas pela interface gráfica.

IMG_20180322_112122

Coordenadores e estudantes do projeto SAIoT. Foto: Daniel Araújo

Para a apresentação no evento, foram selecionados quatro artigos: o primeiro explica a arquitetura do projeto, que protocolos podem ser usados na comunicação dos dispositivos com o servidor, a direção do fluxo de dados, como e onde os dados dos sensores serão armazenados, como de dá a comunicação do servidor com a interface gráfica, etc.

O segundo é um produto da arquitetura explorada anteriormente, analisando a poluição de um sinal elétrico através de um microcontrolador, que será usado, por exemplo, numa tomada inteligente para medir o quão distorcido ou poluído está o circuito elétrico onde ela está conectada. Então esse controlador se reporta ao servidor local que expõem os dados para os usuários através de um aplicativo ou do próprio navegador.

O terceiro, que também é um produto, fala sobre a medição do consumo de água através da utilização de um hidrômetro dotado de sensor de fluxo. Iran Macedo e Daniel Araújo, membros da equipe, contou que há algum tempo o grupo usa esse aparelho na ECT para monitorar o consumo de água. Essa instrumentação ajudou a detectar um grande vazamento na tubulação da Escola, porém como o equipamento ainda estava em fase de testes, gerou certa desconfiança sobre diagnóstico. Apesar disso, eles afirmam que esse episódio serviu para validarem o produto.

O quarto artigo compara dois protocolos de comunicação bidirecionais, MQTT e websocket, explicando qual é o melhor para se comunicar dependendo da sua finalidade de uso.

Por conta do alto custo da viagem, apenas dois membros da equipe poderão participar pessoalmente do evento, mas Daniel e Iran destacam a importância de levar o projeto para congresso de relevância internacional, trazendo mais visibilidade e reconhecimento pelo trabalho realizado.

Deixe uma resposta