Atual direção da ECT celebra um ano de gestão e avalia desdobramentos

14519804_960222994104475_3731797834035769469_n

Atual gestão da ECT. A esquerda Douglas Nascimento e ao lado Josemar Oliveira.

 

Nesta semana, a Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) registra um ano de gestão dos diretores Douglas Nascimento e José Josemar Oliveira. Com a missão de administrar a unidade acadêmica responsável por cerca de 10% dos discentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e mais de 100 professores, entre efetivos e substitutos, além de 25 técnicos administrativos, os gestores analisam os resultados do período e seus possíveis impactos, em um horizonte de alguns anos.

Alicerçados em combinações mais eficientes dos recursos disponíveis, a gestão da dupla é reflexo da sinergia de seus perfis, que se traduz em inovação organizacional para a instituição. Diante de um orçamento limitado para demandas sempre crescentes, as reorganizações e os redimensionamentos aplicados visaram proporcionar um retorno satisfatório a todos que compõem a ECT, bem como investir na consolidação da unidade acadêmica, dentro da indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão.

Além do planejamento estratégico e da reorganização orçamentária, foram pilares da atual direção ações voltadas ao ensino, pesquisa e extensão; à produção acadêmica; à pós-graduação; à infraestrutura e aos servidores. Entre as principais contribuições desse ano de gestão está a elaboração e implantação do Plano Quadrienal da Escola de Ciências e Tecnologia (2016-2019).

A Escola de Ciências e Tecnologia

A Escola de Ciências e Tecnologia (ECT), criada pela Resolução CONSUNI 012/2008 de 01 de dezembro de 2008, teve como primeira missão o suporte acadêmico às atividades do curso de Ciências e Tecnologia – Bacharelado (BCT). Em 2014, foi aprovado pela Capes o seu primeiro programa de Pós-Graduação stricto sensu, o Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Inovação, com duas linhas de pesquisa: gestão da inovação e desenvolvimento de tecnologias para a Inovação. No ano seguinte, tornou-se o 51o polo do Mestrado Nacional Profissional de Ensino de Física da Sociedade Brasileira de Física. Na sua interface com a sociedade, conta com uma Assessoria de Comunicação e Produtora de Conteúdo (ComC&T); uma empresa júnior, a Eject; um programa de incubação executado pela Incubadora de Processos Acadêmicos Científicos e Tecnológicos Aplicados (inPACTA) e o Grupo de Integração Maker (GIM), responsável pelo Arduino Day em Natal.

Deixe uma resposta