Monitoria de Computação Numérica apresenta formas para melhor auxiliar os alunos

Nos dias 19, 20 e 21 de outubro a Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) esteve envolvida em vários eventos simultaneamente na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O Seminário de Iniciação à docência (SID) ocorreu nos setores III, IV e V no campus universitário e contou com a apresentação de projetos de monitoria de diferentes vertentes do saber.

Nesta sexta-feira, 21, assisti a apresentação da “Monitoria de Computação Numérica – Parte Prática”, orientada pelo professor Marcelo Borges Nogueira, que faz parte do Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT).

O componente curricular Computação numérica (CN) em Ciências e Tecnologia, que envolve matemática, física e programação; possui dois segmentos de ensino: o teórico e o prático. O segundo deles, consiste em um método numérico para solução de problemas matemáticos utilizando o software Scilab. Tem carga horária de 74 horas teóricas e 16 horas práticas e é ofertada no quarto semestre do curso.

Assim como na maioria das turmas da ECT, eles trabalham em turmas regulares com uma média entre 120 e 150 alunos. Já no projeto de monitoria, o número reduz para no máximo 42 discentes.

Durante a apresentação, o monitor Thiago Santos disse que para facilitar a fixação do assunto o professor Marcelo Nogueira disponibiliza, no Youtube, vídeo aulas explicando as técnicas de programação. São quatro produções audiovisuais que falam sobre algoritmos e suas aplicações em exercícios práticos.

20161021_170220 Thiago Santos, monitor de CN e Clara Andrade, monitora de PLE

Como funciona o trabalho de monitoria?

Devido ao grande índice de desistência da disciplina, foi feito uma pesquisa entre os discentes para descobrir quais seriam as melhores técnicas para tentar melhorar o seu desempenho no componente curricular.

Com base nos dados coletados dos alunos que responderam ao questionamento, os monitores elaboram experimentos no laboratório de informática, expondo esses discentes a situações cotidianas, fazendo a comparação do problema real com o teórico, colocando em prática algoritmos que eles veem em sala no computador.

A experiência da iniciação à docência

“É uma experiência única”, disse Thiago Santos sobre o trabalho de monitoria, “Você aprende a ser mais desinibido e ter contato com o público, cada aluno tem uma personalidade diferente e é preciso aprender a ser um profissional”.

O projeto de monitoria em Computação numérica funciona de segunda à sexta nos três horários de funcionamento da Escola e aos sábados apenas pela parte de manhã. No site da BCT é possível conferir os horários e agendar com um dos cinco monitores envolvidos no projeto.

 

 

 

Deixe uma resposta